Português

Resumo do Projeto

O espetáculo de teatro musical é um texto autobiográfico sobre a história de uma mulher que, por meio da linguagem, luta contra o mutismo social sobre a morte, o luto e o câncer.

Objetivos do projeto

"O projeto tem, como proposta fundamental, a criação de um espetáculo de teatro musical com texto autobiográfico sobre a história de uma mulher que, por meio da linguagem, luta contra o mutismo social sobre a morte, o luto e o câncer. O texto construído e interpretado por Françoise Berlanger é um monólogo concebido para teatro. A abordagem desta escrita é mais sensível e instintiva. A escrita é em si um ato fundador, a libertação, ela é libertária em si. E isso se dá em relação ao outro, ao espectador em sua cadeira, pois falar de si é evidentemente falar do outro. É essa liberdade a que se refere a performance, essa busca de si pelo outro. O texto é uma abordagem contemporânea, autobiográfica, que afirma a artista que ousa uma experiência em si mesma. É um auto- retrato cênico com seu próprio estilo artístico.
O compositor belga Bo Van Der Werf compôs uma partitura original para o espetáculo, a partir do texto e de oficinas de criação com a diretora. Bo é o líder do grupo de música contemporânea Octurn Ensemble, e a música reflete o colorido harmônico em que o grupo musical vem trabalhando há vários anos, em um contexto onde a improvisação é o componente central do espetáculo. O espetáculo envolve o trabalho do artista plástico Marcel Berlanger e a performance teatral da atriz e diretora Françoise Berlanger com a presença dos quatro músicos do Octurn Ensemble.

A Música do Bo Van der Werf

"Todas as idéias musicais são coloridos por um material harmônico em que o grupo vem trabalhando há vários anos, principalmente baseados em transposições limitadas e suas múltiplas aplicações potenciais em um contexto onde a improvisação é central. Eu trabalhei em uma organização "não-hierárquica, onde as partes individuais misturam-se no tecido musical, onde os papéis são mais tênues, onde as cores são complementares, onde diferentes materiais podem funcionar simultaneamente, ou mais caminhos são possíveis e que as escolhas aleatórias dos músicos dão os contornos diferentes da música o tempo todo. Outros aspectos também me orientaram na escrita: o princípio de dividir a melodia, por exemplo, tornando-a o mais das vezes implícita, se não inteiramente subjetiva. Eu tentei manter essa idéia de traçar uma melodia ou várias formas invisíveis, às vezes interligadas, também com base no todo. Elas são mais conseqüências que referências primárias". Bo Van Der Werf, Bruxelas 2008

As artes visuais do Marcel Berlanger

O artista Marcel Berlanger está associado aos projetos de teatro e performance “Pentesiléia” (2006), “L’euf Blanc” (2006), “Ur” (2007 – 2009), “Le Soleil Même Pleut” (2010) e “Klanglink” (2010).
Artista plástico de Bruxelas, mostra um local onde pintura, luz e som ressoam no mesmo espaço, uma imensa plataforma no novo centro de arte contemporânea WIELS. Confecciona ele mesmo seus suportes. Eles são compostos de fibra resina de vidro líquido transparente endurecido, que cobertos com tinta, Para refletir a luz. Sua intervenção visual é lida aqui como um enigma, como Freud, que falou dos sonhos como uma "escrita em imagens", chamando a decodificação: uma palavra história - Enigma do sonhador - que compõem uma cadeia associativa disponível para a interpretação.